Buscar

402,2 mil segurados podem ficar sem os pagamentos feitos pelo INSS

Via Mix Vale

402,2 mil segurados podem ficar sem os pagamentos feitos pelo INSS Com o veto do presidente Jair Bolsonaro à suspensão da prova de vida do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) até dezembro, 402,2 mil segurados no Estado do Rio têm que correr contra o relógio e fazer a atualização cadastral obrigatória nos bancos para não terem suas aposentadorias ou pensões suspensas. Os prazos referentes ao recadastramento anual não realizado em 2020 acabam em outubro.


De acordo com o INSS, dos três milhões de segurados que têm que fazer a prova de vida no Estado do Rio, 2,16 milhões já a fizeram em 2021; 447,8 mil estão com a atualização cadastral ainda válida e 402,2 mil estão com o procedimento pendente, segundo dados de 14 de setembro.


Em todo o país, segundo o INSS, 4,9 milhões de pessoas ainda precisam realizar o procedimento.


Procedimento referente a 2021

Os prazos de recadastramento em 2021 vão até agosto de 2022 e variam conforme o mês em que a prova de vida venceu ou vai vencer. Por exemplo, aposentados com a prova de vida vencida em setembro ou outubro de 2020 devem realizar o procedimento até o dia 30 de setembro deste ano. Em outubro, será o último mês para quem teria que fazer a comprovação em novembro e dezembro de 2020.​


O segurado que perder a data da comprovação de vida pode ter o benefício bloqueado, suspenso ou cessado. No entanto, segundo informações do INSS, caso haja bloqueio do benefício por falta de prova de vida, o segurado deverá solicitar sua reativação do benefício, de forma remota, por meio do Meu INSS (site ou aplicativo).


O segurado pode informar seus documentos pessoais, como número de identidade, CPF e comprovante de residência, no próprio requerimento inicial. De acordo com o INSS, além do requerimento de reativação, o segurado deverá se dirigir ao banco para o recadastramento.


Pessoas com mais de 80 anos e dificuldade de locomoção


Maiores de 80 anos e pessoas a partir de 60 que tenham dificuldade de locomoção podem fazer a prova de vida em domicílio. O beneficiário ou um parente pode agendar, pelo telefone 135 ou pelo Meu INSS, uma visita de um funcionário do órgão.

Os segurados com biometria cadastrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e no Detran podem fazer o procedimento pelo Meu INSS.


Em todo o país


Em julho, havia 7.308.698 aposentados, pensionistas e outros beneficiários com a atualização cadastral pendente. Em apenas um mês, 2,3 milhões fizeram a prova de vida.


Desde o ano passado, 31.259.263 beneficiários se recadastraram no país. Do total, 24.690.973 foram em 2021 e outros 6.568.290 realizaram o procedimento em 2020.

Procedimento nos bancos


Algumas instituições financeiras fazem a prova de vida por meio de biometria digital, com o reconhecimento da impressão digital do segurado pela máquina de autoatendimento. Outros exigem a apresentação de um documento com foto (carteira de identidade, carteira de trabalho ou carteira de habilitação) a um funcionário para que a atualização de dados seja concluída.


Em geral, os bancos informam aos beneficiários sobre a necessidade de recadastramento por meio de mensagens informativas apresentadas nos meios eletrônicos de relacionamento com os clientes.


A data para o recadastramento anual varia de banco para banco. Na Caixa Econômica e no Itaú Unibanco, por exemplo, o vencimento da prova de vida ocorre até um ano do último recadastramento realizado.


Já no Banco do Brasil, é feita no mês de aniversário do beneficiário. O Bradesco, por sua vez, leva em conta o mês em que o cliente recebeu o primeiro pagamento do benefício.

E no Santander, o vencimento da prova de vida ocorre anualmente com base na data da concessão da aposentadoria do INSS.



0 visualização
Escritório moderno

Para qualquer solicitação, preencha os campos no formulário abaixo:

Obrigado! Mensagem enviada.

selo4-d4s.png
whatsapp.png
QR GYN.png